Cidadãos seniores como parceiros

Num centro de investigação onde se desenha e desenvolve tecnologia para cidadãos seniores, incluí-los no processo de investigação é essencial para produzir tecnologia inovadora para o bem-estar e a qualidade de vida dos seniores.

O Living Lab COLABORAR da Fraunhofer Portugal AICOS aproxima investigadores e seniores, promovendo a interação entre eles através de parcerias com organizações da comunidade. Centros de dia, juntas de freguesia, residenciais para pessoas idosas, entre outras, aderiram a esta iniciativa. O Living Lab dá voz aos seniores e facilita a integração das suas preferências na tecnologia que visa responder às suas necessidades. Desta forma, pretende-se que a tecnologia do futuro seja companheira dos seniores e uma ferramenta verdadeiramente fácil de utilizar. Investigadores e cidadãos seniores estão a construir tecnologia que no futuro irá permitir aos mais idosos manterem-se autónomos e participativos na esfera familiar e social.

São mais de 1000 cidadãos que fazem parte do Living Lab COLABORAR. Quem quiser juntar-se a este grupo, pode inscrever-se aqui.

Voluntariado científico

Tenha 18 ou 80 anos de idade, faça parte da inovação.

O COLABORAR promove uma abordagem de investigação que junta cientistas e partes interessadas que têm conhecimento sobre um assunto particular. Pode ser na área da assistência social, serviços de saúde, transportes públicos ou planeamento urbano. De acordo com isso, educadores e assistentes sociais, profissionais de saúde, especialistas em envelhecimento e cidadãos são encorajados a envolverem-se em ciência. É tão simples como partilhar necessidades, prioridades e preferências.

As organizações internacionais recomendam este modelo de investigação colaborativo, com o objetivo de melhorar os resultados. Estamos certos de que a nossa investigação tem mais valor porque inclui as preocupações de doentes, profissionais e utilizadores.

Faça parte desta iniciativa e influencie a investigação que fazemos. Molde as tecnologias e os serviços tecnológicos que vai utilizar. A sua opinião é importante. Para participar voluntariamente em investigação, preencha o formulário de contacto.

Estudo longitudinal

As novas tecnologias são cada vez mais utilizadas pelos idosos. Smartphones, tablets e apps fazem já parte do vocabulário dos seniores. Mas qual o impacto que estas tecnologias têm na vida diária dos idosos?

Para descobrir isso, os investigadores da equipa de Design Centrado em Humanos da Fraunhofer Portugal AICOS implementaram um estudo longitudinal para perceber os desafios e o impacto da tecnologia móvel nas rotinas diárias dos idosos. O estudo inclui pessoas que já têm smartphones e pessoas que não têm.

Este estudo irá permitir ilustrar como os idosos experienciam a integração da tecnologia nas suas vidas diárias. Os investigadores terão assim acesso a dados do mundo real sobre o uso de tecnologia com vista a desenhar interfaces de aplicações que ajudem a ultrapassar as barreiras que acompanham estas tecnologias.

COLABORAR – Painel de especialistas clínicos

O Fraunhofer Portugal AICOS (situada no Porto, no Edifício UPTEC) desenvolve atividades de investigação centradas em tecnologia digital aplicada, entre outros, aos domínios da saúde, envelhecimento ativo e bem-estar. Exemplos de projetos que fazem parte do nosso portfolio:

  • Rastreio descentralizado em dermatologia – tecnologia móvel para profissionais de saúde, validada como solução de monitorização ou de referenciação para lesões de pele;
  • Rastreio descentralizado em oftalmologia – um dispositivo ótico portátil baseado num smartphone que capta imagens da retina automaticamente, com orientação inteligente durante a aquisição e diagnóstico assistido por computador integrado no dispositivo;
  • Microscopia móvel, de baixo custo e automática – uma alternativa de baixo custo e automática aos microscópios convencionais, adaptada para suportar efetivamente o diagnóstico baseado em microscopia em áreas com acesso limitado a serviços de saúde;
  • Processamento avançado de dados de sensores inerciais para reconhecimento de atividades humanas e caracterização de movimentos – aplicado a exergames para seniores, programas de fisioterapia para o domicílio baseados em smartphones ou tablets e sensores inerciais, entre outros.

O Fraunhofer Portugal AICOS, ao desenvolver investigação aplicada, está diretamente envolvido na transformação digital. Porque estamos alinhados com as recomendações internacionais que consistem em envolver todos os stakeholders no desenho de soluções e serviços de base tecnológica, o COLABORAR está a promover a participação de clínicos. Por isso, dirigimos aos profissionais de saúde com eventual interesse em influenciar a inovação em saúde, o convite para integrar um painel de especialistas clínicos.

Este painel encontrar-se-á numa posição privilegiada para transmitir aos investigadores as necessidades, prioridades e preferências na área da saúde. Através desta iniciativa, os profissionais de saúde ficarão a conhecer os tópicos de investigação em que estamos a trabalhar e serão capazes de instigar futuros temas a explorar pela nossa equipa.

Recomendamos que os interessados enviem email para colaborar@fraunhofer.pt.

3000 sessões de investigação e teste com utilizadores

Estamos felizes por ter chegado ao objetivo de 3000 sessões de investigação e teste com utilizadores!

Nos últimos 7 anos e meio, o COLABORAR suportou 3000 atividades de investigação e teste com utilizadores. Recolha de requisitos, entrevistas, diários, testes de protótipos, classificação de cartões, grupos focais, testes de usabilidade presenciais, questionários e estudos-piloto são as atividades realizadas.

A equipa do COLABORAR não poderia estar mais satisfeita. Durante este tempo, aprendemos muitas coisas relacionadas com o recrutamento de pessoas para investigação e teste, assim como sobre a realização de atividades de investigação com utilizadores. Para os próximos anos, esperamos duplicar este número!

Recolha de dados para desenvolvimento de aplicação móvel para psicólogos

Os psicólogos habitualmente recolhem e analisam grandes quantidades de dados dos doentes na sua prática clínica. No Fraunhofer Portugal AICOS, um estudante de engenharia está a desenvolver uma aplicação móvel para apoiar o trabalho de psicólogos.

Sessenta voluntários do COLABORAR deram um importante contributo para a ciência ao participarem numa sessão com um psicólogo. O psicólogo, também voluntário, aplicou alguns métodos e instrumentos para avaliar cada indivíduo.

O estudo recebeu aprovação de uma comissão de ética independente. No final do estudo, os participantes irão receber um relatório individualizado elaborado pelo psicólogo. Muito obrigado a todos os participantes pela gentileza de participarem em investigação! O vosso contributo acrescenta valor à tecnologia, pois são usados dados reais no seu desenvolvimento.

O COLABORAR ajuda-o a testar a sua tecnologia

O COLABORAR agora também fornece os seus serviços a empresas, start-ups e centros de investigação. O acesso a utilizadores finais reais de um “Laboratório Vivo” com sede no Porto está no centro dos serviços.

A nossa experiência de mais de 7 anos no recrutamento de participantes para investigação, juntamente com a vasta experiência da equipa de Design Centrado em Humanos na realização de estudos etnográficos, testes de usabilidade, estudos de exequibilidade e avaliação de tecnologias em saúde acrescentará valor às aplicações móveis e aos dispositivos móveis.

O cumprimento com o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) e a ética em investigação estão incluídos nos nossos serviços. A nossa equipa fará a gestão do feedback dos utilizadores para que a empresa possa melhorar a tecnologia em desenvolvimento antes de chegar ao mercado.

Estudo-piloto para uma entidade Europeia

É uma honra para o COLABORAR ter sido convidado a organizar e conduzir um estudo de campo para uma unidade de I&D de um cliente de indústria!

O facto de o COLABORAR ser a única rede de utilizadores Portuguesa a integrar este estudo, juntamente com outros centros de investigação na Europa, é um motivo de orgulho para a nossa equipa. É o reconhecimento das nossa boas práticas e experiência prévia a conduzir estudos-piloto com idosos.

Em Portugal, o estudo está a decorrer em dois locais no Porto que são instituições parceiras do COLABORAR. O equipamento está instalado e a recolha de dados já começou.

Esperamos contribuir para a inovação para a terceira idade.

Estudo-piloto GoLivePhone e GoLiveClip

Um novo projecto piloto desenhado e conduzido por investigadores do Fraunhofer Portugal AICOS começou esta semana, no Porto.

O GoLivePhone é uma aplicação móvel que funciona como um verdadeiro companheiro das pessoas idosas. O GoLiveClip é um sensor wearable que capta os movimentos corporais e transmite essa informação à aplicação GoLivePhone. Após diversos testes no laboratório do Fraunhofer AICOS, os investigadores querem obter dados do mundo real acerca do uso destas tecnologias. Este estudo irá permitir aos investigadores compreender o papel da tecnologia na assistência aos idosos nas suas rotinas diárias, por exemplo, para manterem as relações sociais e para ajudá-los a monitorizar a actividade física.

O primeiro grupo de participantes da rede de utilizadores COLABORAR iniciou o estudo, através da resposta a questionários e da execução de testes físico-motores. Depois, irão participar num workshop para se familiarizarem com a aplicação e o sensor que vão levar para casa durante vários meses.

O estudo decorrerá por um período de um ano e trará informação importante sobre o uso da tecnologia pelos seniores no contexto real.

O guia do COLABORAR de procedimentos éticos em investigação

No Fraunhofer AICOS há vários projectos em desenvolvimento. Muitos deles requerem testes de validação e de usabilidade com utilizadores finais, pelo que devem seguir certos procedimentos relacionados com a organização e com procedimentos éticos e legais em investigação com seres humanos.

O COLABORAR e o Departamento Legal do Fraunhofer AICOS criaram uma checklist para orientar os investigadores e os estudantes. Esta checklist é constituída por procedimentos éticos e legais que devem ser seguidos, assim como aspectos relacionados com a organização de actividades de investigação com utilizadores. Este guia teve por base as boas práticas e a experiência do COLABORAR ao longo de 7 anos com testes que envolvem utilizadores. O guia tem por objectivo ajudar os investigadores a conduzir estudos com participantes, pois estabelece orientações de comportamento e uniformiza os procedimentos. Adicionalmente, será um recurso útil para regular os testes conduzidos por parceiros científicos.

Este trabalho foi realizado no âmbito do projecto DEMind – Deus Ex Machina Mente e Comportamento. Todos os investigadores terão acesso à checklist com informação prática que facilitará o seu trabalho.