COLABORAR – Painel de especialistas clínicos

O Fraunhofer Portugal AICOS (situada no Porto, no Edifício UPTEC) desenvolve atividades de investigação centradas em tecnologia digital aplicada, entre outros, aos domínios da saúde, envelhecimento ativo e bem-estar. Exemplos de projetos que fazem parte do nosso portfolio:

  • Rastreio descentralizado em dermatologia – tecnologia móvel para profissionais de saúde, validada como solução de monitorização ou de referenciação para lesões de pele;
  • Rastreio descentralizado em oftalmologia – um dispositivo ótico portátil baseado num smartphone que capta imagens da retina automaticamente, com orientação inteligente durante a aquisição e diagnóstico assistido por computador integrado no dispositivo;
  • Microscopia móvel, de baixo custo e automática – uma alternativa de baixo custo e automática aos microscópios convencionais, adaptada para suportar efetivamente o diagnóstico baseado em microscopia em áreas com acesso limitado a serviços de saúde;
  • Processamento avançado de dados de sensores inerciais para reconhecimento de atividades humanas e caracterização de movimentos – aplicado a exergames para seniores, programas de fisioterapia para o domicílio baseados em smartphones ou tablets e sensores inerciais, entre outros.

O Fraunhofer Portugal AICOS, ao desenvolver investigação aplicada, está diretamente envolvido na transformação digital. Porque estamos alinhados com as recomendações internacionais que consistem em envolver todos os stakeholders no desenho de soluções e serviços de base tecnológica, o COLABORAR está a promover a participação de clínicos. Por isso, dirigimos aos profissionais de saúde com eventual interesse em influenciar a inovação em saúde, o convite para integrar um painel de especialistas clínicos.

Este painel encontrar-se-á numa posição privilegiada para transmitir aos investigadores as necessidades, prioridades e preferências na área da saúde. Através desta iniciativa, os profissionais de saúde ficarão a conhecer os tópicos de investigação em que estamos a trabalhar e serão capazes de instigar futuros temas a explorar pela nossa equipa.

Recomendamos que os interessados enviem email para colaborar@fraunhofer.pt.

3000 sessões de investigação e teste com utilizadores

Estamos felizes por ter chegado ao objetivo de 3000 sessões de investigação e teste com utilizadores!

Nos últimos 7 anos e meio, o COLABORAR suportou 3000 atividades de investigação e teste com utilizadores. Recolha de requisitos, entrevistas, diários, testes de protótipos, classificação de cartões, grupos focais, testes de usabilidade presenciais, questionários e estudos-piloto são as atividades realizadas.

A equipa do COLABORAR não poderia estar mais satisfeita. Durante este tempo, aprendemos muitas coisas relacionadas com o recrutamento de pessoas para investigação e teste, assim como sobre a realização de atividades de investigação com utilizadores. Para os próximos anos, esperamos duplicar este número!

Recolha de dados para desenvolvimento de aplicação móvel para psicólogos

Os psicólogos habitualmente recolhem e analisam grandes quantidades de dados dos doentes na sua prática clínica. No Fraunhofer Portugal AICOS, um estudante de engenharia está a desenvolver uma aplicação móvel para apoiar o trabalho de psicólogos.

Sessenta voluntários do COLABORAR deram um importante contributo para a ciência ao participarem numa sessão com um psicólogo. O psicólogo, também voluntário, aplicou alguns métodos e instrumentos para avaliar cada indivíduo.

O estudo recebeu aprovação de uma comissão de ética independente. No final do estudo, os participantes irão receber um relatório individualizado elaborado pelo psicólogo. Muito obrigado a todos os participantes pela gentileza de participarem em investigação! O vosso contributo acrescenta valor à tecnologia, pois são usados dados reais no seu desenvolvimento.

O COLABORAR ajuda-o a testar a sua tecnologia

O COLABORAR agora também fornece os seus serviços a empresas, start-ups e centros de investigação. O acesso a utilizadores finais reais de um “Laboratório Vivo” com sede no Porto está no centro dos serviços.

A nossa experiência de mais de 7 anos no recrutamento de participantes para investigação, juntamente com a vasta experiência da equipa de Design Centrado em Humanos na realização de estudos etnográficos, testes de usabilidade, estudos de exequibilidade e avaliação de tecnologias em saúde acrescentará valor às aplicações móveis e aos dispositivos móveis.

O cumprimento com o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) e a ética em investigação estão incluídos nos nossos serviços. A nossa equipa fará a gestão do feedback dos utilizadores para que a empresa possa melhorar a tecnologia em desenvolvimento antes de chegar ao mercado.

Estudo-piloto para uma entidade Europeia

É uma honra para o COLABORAR ter sido convidado a organizar e conduzir um estudo de campo para uma unidade de I&D de um cliente de indústria!

O facto de o COLABORAR ser a única rede de utilizadores Portuguesa a integrar este estudo, juntamente com outros centros de investigação na Europa, é um motivo de orgulho para a nossa equipa. É o reconhecimento das nossa boas práticas e experiência prévia a conduzir estudos-piloto com idosos.

Em Portugal, o estudo está a decorrer em dois locais no Porto que são instituições parceiras do COLABORAR. O equipamento está instalado e a recolha de dados já começou.

Esperamos contribuir para a inovação para a terceira idade.

Estudo-piloto GoLivePhone e GoLiveClip

Um novo projecto piloto desenhado e conduzido por investigadores do Fraunhofer Portugal AICOS começou esta semana, no Porto.

O GoLivePhone é uma aplicação móvel que funciona como um verdadeiro companheiro das pessoas idosas. O GoLiveClip é um sensor wearable que capta os movimentos corporais e transmite essa informação à aplicação GoLivePhone. Após diversos testes no laboratório do Fraunhofer AICOS, os investigadores querem obter dados do mundo real acerca do uso destas tecnologias. Este estudo irá permitir aos investigadores compreender o papel da tecnologia na assistência aos idosos nas suas rotinas diárias, por exemplo, para manterem as relações sociais e para ajudá-los a monitorizar a actividade física.

O primeiro grupo de participantes da rede de utilizadores COLABORAR iniciou o estudo, através da resposta a questionários e da execução de testes físico-motores. Depois, irão participar num workshop para se familiarizarem com a aplicação e o sensor que vão levar para casa durante vários meses.

O estudo decorrerá por um período de um ano e trará informação importante sobre o uso da tecnologia pelos seniores no contexto real.

O guia do COLABORAR de procedimentos éticos em investigação

No Fraunhofer AICOS há vários projectos em desenvolvimento. Muitos deles requerem testes de validação e de usabilidade com utilizadores finais, pelo que devem seguir certos procedimentos relacionados com a organização e com procedimentos éticos e legais em investigação com seres humanos.

O COLABORAR e o Departamento Legal do Fraunhofer AICOS criaram uma checklist para orientar os investigadores e os estudantes. Esta checklist é constituída por procedimentos éticos e legais que devem ser seguidos, assim como aspectos relacionados com a organização de actividades de investigação com utilizadores. Este guia teve por base as boas práticas e a experiência do COLABORAR ao longo de 7 anos com testes que envolvem utilizadores. O guia tem por objectivo ajudar os investigadores a conduzir estudos com participantes, pois estabelece orientações de comportamento e uniformiza os procedimentos. Adicionalmente, será um recurso útil para regular os testes conduzidos por parceiros científicos.

Este trabalho foi realizado no âmbito do projecto DEMind – Deus Ex Machina Mente e Comportamento. Todos os investigadores terão acesso à checklist com informação prática que facilitará o seu trabalho.

Nova edição da Newsletter do COLABORAR já disponível

A cada 3 meses o COLABORAR publica uma Newsletter gratuita. Em cada edição são destacadas as principais notícias e eventos do COLABORAR, incluindo actividades de investigação e testes com utilizadores.

Para subscrever gratuitamente a Newsletter do COLABORAR, inscreva-se.

COLABORAR organizou trabalho de campo para estudante de doutoramento internacional

Uma estudante internacional de doutoramento do Departamento de Marketing e Cadeia de Valor da Universidade de Maastricht (Department of Marketing and Supply Chain Management at Maastricht University), nos Países Baixos, e bolseira do programa Marie Curie na Rede de Design de Serviços para a Inovação (Service Design for Innovation Network (SDIN), publicou o seu trabalho de investigação desenvolvido durante a sua estadia no Fraunhofer AICOS na 4.ª Conferência Internacional Design4Health que decorreu em Melbourne, na Austrália, em Dezembro de 2017.

Nesta conferência foram apresentados os contributos da área de investigação que resulta da intersecção entre o design e a saúde. A investigação da estudante Martina Caic foca-se nas experiências do consumidor nas cadeias de valor, com um principal interesse na robótica e nas tecnologias de vida assistida. A Martina esteve no Fraunhofer AICOS como investigadora visitante e realizou várias observações de sessões de exercício físico com o Exergames num centro de dia Português para idosos que integra a rede de utilizadores COLABORAR por um período de três meses. O COLABORAR organizou o trabalho de campo para a estudante.

O artigo tem como título “Jogos de exercício para um envelhecimento saudável: inclusão através do design” (“Exergames for healthy ageing: Inclusion through design”) e explora a apropriação da tecnologia da plataforma de jogos de exercício físico para seniores do Fraunhofer AICOS. O trabalho da Martina demonstra quais são os factores-chave para aumentar a probabilidade de os utilizadores adoptarem e aceitarem a tecnologia neste caso de estudo específico. A evolução da vontade dos participantes em envolverem-se com a plataforma também foi documentada. A Martina realça ainda a importância de envolver os idosos no seu próprio cuidado, uma vez que a plataforma Exergames tem por objectivo promover a actividade física dos seniores através de jogos de vídeo de entretenimento. O artigo de investigação completo faz parte dos arquivos da conferência e pode ser acedido aqui (apenas em Inglês).

O COLABORAR recruta participantes para estudo longitudinal

Um estudo longitudinal sobre o uso do smartphone pelos seniores do Porto, coordenado pela equipa de Design Centrado em Humanos da Fraunhofer Portugal AICOS, começa agora.

Utilizando o modelo de investigação qualitativa, os investigadores da equipa de Design Centrado em Humanos da Fraunhofer Portugal AICOS estão a iniciar um estudo longitudinal de mais de um ano. Este estudo tem por objectivos compreender melhor como os seniores usam os seus smartphones e as possíveis alterações nos padrões de uso ao longo do tempo.

Os participantes vão usar uma aplicação para smartphone “amiga dos idosos” e personalizada que lhes permitirá realizar tarefas comuns do telefone, tais como enviar mensagens, fazer chamadas e tirar fotos. Chamadas de emergência e pedidos de ajuda estão também disponíveis. Eles podem usar também a aplicação de lembretes de medicação, asism como a aplicação de navegação. A monitorização através do smartphone faz parte deste estudo; por esse motivo aplicações de monitorização da actividade física e detecção de quedas estão também incluídas. Esta monitorização requer o uso de um dispositivo wearable – o GoLiveClip. Para além disso, os utilizadores podem receber ajuda remota do seu cuidador que terá acesso a um portal web.

Os módulos da aplicação receberam vários prémios:
Google, Vodafone, Zon and World Summit Award Mobile. Todos os módulos da aplicação foram desenvolvidos de acordo com as necessidades dos idosos e foram testados pelos voluntários do COLABORAR. A recolha de dados vai ser realizada de forma remota no ambiente natural dos participantes e as avaliações individuais vão realizar-se no Living Lab de 3 em 3 meses. Este estudo vai permitir perceber de que forma os seniores usam ferramentas para prevenir o isolamento, promover a sua autonomia, segurança e qualidade de vida.

O COLABORAR recrutou mais de 50 seniores interessados em participar neste estudo. Eles são entusiastas quanto à tecnologia, embora nem todos tenham um smartphone. Este aspecto permite ter na amostra indivíduos com diferentes capacidades digitais, tornando assim a amostra mais representativa da população sénior.